Como fotografar a Aurora Boreal | Guia Completo 2



Se você é leigo em fotografia e quer saber como fotografar a Aurora Boreal, veio ao lugar certo. Nesta matéria vamos explicar, de maneira rápida e didática, tudo o que você precisa saber para tirar ótimas fotos da Aurora. Você vai aprender quais os equipamentos necessários, se a sua máquina fotográfica serve (ou não), como ajustar sua câmera e quais as melhores regulagens para cada situação.

Nós já fotografamos as Northern Lights – em três países: Finlândia, Noruega e Islândia. Nos 2 primeiros vimos o fenômeno no fim do outono (meses de novembro e dezembro), pegamos temperaturas entre 0°C e -19°C. O frio extremo é um fator que dificulta a fotografia – vamos dar dicas de como minimizar esse problema.

Também já fotografamos em uma viagem à Islândia, onde nem sonhávamos ver novamente as Northern Lights – afinal o verão é a pior época para fotografar a Aurora Boreal – as noites são bem mais curtas (quando há noite) e o céu nunca escurece por completo. Ainda assim, nas condições mais adversas e em pleno mês de agosto, conseguimos fotografá-la!

A ideia aqui é mostrar que fotografar a Aurora Boreal não é nenhum bicho de 7 cabeças, basta usar os equipamentos e regulagens corretas – vamos explicar tudo isso aqui, para você levar para casa ótimas fotos de recordação. Para facilitar sua leitura, dividimos a matéria nos seguintes tópicos:

como fotografar a aurora boreal

Fotografando a Aurora Boreal com uma Canon T7i e tripé

Equipamento básico para fotografar a Aurora Boreal

Os equipamentos básicos (e necessários) para fotografar a Aurora Boreal são:

  • Máquina fotográfica com modo manual
  • Tripé

No nosso caso, usamos uma câmera DSLR Canon T7i sensor APS-C, lente com distância focal de 18-55mm (28-88mm na escala Full-frame) e um tripé dos mais baratos. Dentro da família de câmeras DSLR, nossa Canon T7i é um modelo básico, com preço inicial em torno de 650 dólares.

equipamento para fotografar a aurora boreal

Câmera Canon T7i básica e um tripé

Ficamos satisfeitos com o resultado das fotografias da Aurora Boreal, e vamos mostrá-los aqui para que sirvam de inspiração – você poderá conseguir resultados tão bons ou melhores com equipamento básico similar.

MINHA CÂMERA SERVE? Se ela tiver modo manual (M), então serve para fotografar a Aurora. Mas porque o modo (M) é necessário? Porque só nele conseguimos definir o TEMPO DE EXPOSIÇÃO e a ABERTURA – como verão aqui são ajustes essenciais para fotografar as Northern Lights.

QUAL TRIPÉ LEVAR? Existem vários modelos – mas para a nossa finalidade, um tripé básico com pés telescópicos serve. Nós levamos um com 38cm recolhido e 1m todo aberto, funcionou super bem conosco. Dois motivos nos levaram a escolhê-lo:

  • FÁCIL DE ACHAR E BARATO: pagamos apenas 55 reais no tripé.
  • TAMANHO e PESO: Era pequeno, de alumínio e leve – isso era fundamental para nós. Os melhores tripés são maiores e mais pesados, no entanto, considerando a viagem de avião, queríamos algo que ocupasse pouco espaço em nossa mochila de mão.

Como ajustar a câmera para fotografar a Aurora Boreal | Guia Rápido

Regule sua máquina fotográfica com os seguintes ajustes:

  1. Coloque sua câmera em modo MANUAL (M mode)
  2. Ajuste a ABERTURA para o máximo (equivale ao menor valor do número “F”)
  3. Ajuste o ISO entre 1600 e 6400
  4. Ajuste o TEMPO DE EXPOSIÇÃO entre 1 a 20s
  5. Ajuste o WHITE BALANCE para Auto
  6. Ajuste o SELFTIMER para 2s
  7. Desligue o IS (Image Stabilization)
  8. Deixe o ZOOM no mínimo
  9. Ajuste o FOCO no infinito, e em seguida desligue o foco automático.

Pronto, essas são as configurações ideais para fotografar a Aurora Boreal em uma noite escura! É só isso!! Confira o resultado:

DICA: Caso fotografe na cidade ou em uma noite mais clara, reduza o ISO para valores entre 800 e 1600.

Dicas de regulagens para cada “tipo” de Aurora Boreal

Já vimos o fenômeno das Northern Lights de diversas formas: mais forte, mais fraco, com luzes mais agitadas ou menos agitadas. Cada “tipo” de Aurora pede ajustes um pouco diferentes em sua câmera. Vou compartilhar aqui os que se revelaram melhores para nós.

Não se preocupe em “decorar” os ajustes, não são valores absolutos. Use-os muito mais como ponto de partida de sua própria fotografia. Faça suas experiências, altere o ISO e TEMPO DE EXPOSIÇÃO, avalie os resultados e tire suas próprias conclusões.

Vou começar compartilhando o caso de uma Aurora Boreal forte que fotografamos, estávamos em um lago na Noruega nesta noite, próximos de Tromso. As Northern Lights estavam bem agitadas no céu.

DICA IMPORTANTE: quando o movimento das luzes é intenso, é importante reduzir o tempo de exposição, para não ficar com um “borrão” na foto. Nós conseguimos a melhor regulagem com 5s de exposição, ISO=6400, confira o resultado:

Foto Aurora boreal em Tromso: regulagens ISO=6400 e TEMPO DE EXPOSIÇÃO=5s

Foto Aurora Boreal na Noruega: ISO=6400 e TEMPO DE EXPOSIÇÃO=5s

A Aurora estava tão forte esta noite que se estendia do horizonte até o topo do céu, dançando sobre nossas cabeças, foi uma experiência inesquecível:

Agora, para efeito de comparação, o caso inverso: a foto abaixo tiramos no conforto de nosso hotel tipo Iglu na Lapônia, Finlândia. Nesta noite a Aurora Boreal apareceu mais fraca e com luzes menos agitadas, em formato de arco. Neste caso, obtivemos um bom resultado aumentando o TEMPO DE EXPOSIÇÃO para 30s e reduzindo o ISO para 3200. Confira:

Foto Aurora boreal regulagem ISO=3200 e TEMPO DE EXPOSIÇÃO=30s

Foto Aurora boreal na Finlândia com ISO=3200 e TEMPO DE EXPOSIÇÃO=30s

Caso vá fotografar a Aurora Boreal na cidade, outros ajustes são necessários, em especial no ISO – reduza por conta do excesso de claridade da cidade. A foto abaixo tiramos da sacada de nosso hotel em Tromso. Usamos TEMPO DE EXPOSIÇÃO de 5s e ISO 800:

Northern Lights em Tromso, Noruega

E agora um caso extremo: conseguimos fotografar a Aurora Boreal na Islândia, em pleno verão – época em que ela dificilmente é vista. Nesta época do ano, a noite é curta e o céu não escurece por completo. Portanto, reduzimos o ISO para 800 e colocamos a exposição em 15s, veja o resultado:

E lembre-se que em todas as fotos, o número “F” deve ficar no valor mínimo (no nosso caso foi F=4).

OUTRAS DICAS IMPORTANTES AO FOTOGRAFAR A AURORA BOREAL:

  • FOTOS MUITO CLARAS OU ESCURAS DA AURORA: sua foto ficou muito clara, a solução é diminuir o número ISO e/ou TEMPO DE EXPOSIÇÃO. Ou se ficou muito escura, faça o inverso: aumente o ISO e/ou TEMPO DE EXPOSIÇÃO.
  • EVITE OLHAR PARA LUZES FORTES: Durante a observação do fenômeno, evite olhar para fontes luminosas fortes, como seu celular. Os olhos se adaptam rapidamente à luz forte, mas o efeito demora a passar. Durante esse tempo, você passa a enxergar menos no escuro, e terá mais dificuldade para ver a Aurora Boreal, em especial se ela estiver fraca. Por isso, anote essas DICAS:
    • Diminua o brilho da tela do seu celular para o valor mínimo;
    • Diminua o brilho do LCD da sua máquina fotográfica também para o valor mínimo;
  • FRIO EXTREMO, DICA DE LUVAS: Use luvas do tipo mittens “conversíveis” (procure no google por “mittens convertible”), são as melhores e mais versáteis para fotografia em lugares muito frios. No final do Outono, pegamos -19oC na Lapônia/Finlândia, e em uma situação dessas, o frio judia demais dos dedos, dói muito – mesmo com luvas, então proteja-os, é fundamental! Isso porque era outono… agora imagine no inverno!!
  • FRIO EXTREMO, DICA DE BATERIA: Caso sua câmera tenha bateria extra, leve. O frio extremo reduz a carga útil da bateria. Se ela misteriosamente acabar do nada, anote essa DICA: retire a bateria da máquina e deixe-a em sua mão (dentro do bolso) ou em contato com qualquer parte quente do corpo até ela esquentar. Depois, é só colocar de volta na máquina que ela vota a funcionar! Funciona também com o celular!!
  • FRIO EXTREMO, DICA DO CHOQUE TÉRMICO: Depois de fotografar a Aurora Boreal ao ar livre, em temperaturas gélidas, ao retornar ao primeiro ambiente quente (seja no ar quente do carro, ônibus da excursão ou quarto do hotel), a alteração rápida de temperatura vai condensar água na sua câmera, e isso é péssimo para o equipamento. Para evitar a condensação, envolva sua câmera em uma blusa ou mochila (que já esteja com você no ambiente gelado) antes de entrar no ambiente quente – isso torna a mudança de temperatura suave e evita a condensação de água, prolongando a vida do seu equipamento.
  • DEIXE TUDO PRONTO: Faça os ajustes antes de iniciar seu passeio de observação da Aurora Boreal. Se puder, faça-os no quarto de seu hotel. Não deixe para última hora, estará escuro e muito frio!

Ahh, mais uma dica: antes de viajar, treine fotografar o céu de sua cidade. Em sua casa, desligue as luzes, monte a câmera no tripe, abra a janela e aponte sua câmera para as estrelas. Vai ficar surpreso com a quantidade delas na fotografia, muito mais do que enxergamos a olho nú!

Não estranhe se elas aparecerem “riscadas” – isso acontece por causa da rotação da Terra. Quanto mais próximo do equador, e quanto maior o tempo de exposição, mais “riscada” fica a foto. No entanto, estes pequenos “riscos” luminosos devem ficar nítidos. Se ficarem borrados sua regulagem está incorreta – verifique o ajuste do FOCO (lembre-se, deve ficar focado no infinito).

Os detalhes de como regular sua câmera para fotografar a Aurora boreal você encontra no tópico a seguir.

Entendendo as regulagens de sua câmera

Veja como definir os 9 ajustes em sua câmera para fotografar a Aurora Boreal. Com exceção do ajuste do FOCO, que dá um pouco mais de trabalho (especialmente se estiver escuro), todos os demais são relativamente simples.

1.CÂMERA EM MODO MANUAL (M): Esse ajuste é bem simples, coloque sua câmera no modo “M”, de manual, e deixe nessa regulagem.

2.ABERTURA (número “F”): A ABERTURA é o tamanho “buraco” na lente. É ela que regula o quanto de luz pode chegar ao sensor. Fazendo uma analogia, funciona como a “pupila” dos nossos olhos. No escuro, o que acontece com a pupila? Ela se abre, deixando mais luz chegar até a retina (o nosso sensor!), adaptando nossa visão ao escuro.

Para fotografarmos a Aurora boreal, a lógica é a mesma: o “buraco” da lente deve ficar o máximo aberto, assim a câmera enxerga melhor no escuro. A ABERTURA nas câmeras fotográficas é controlada pelo número “F”, e há aí uma pegadinha: o máximo de ABERTURA acontece no valor mínimo do número “F” – par detalhes técnicos do porque disso clique aqui.

Assim, para fotografarmos a Aurora Boreal, temos que definir o “F” para o valor mínimo. Exemplo: no nosso caso, o número “F” da lente que usamos varia de 4.0 a 22.0. Portanto, deixei em F4.0. Uma vez regulado, não mexa mais neste número, todas as fotos da Aurora devem ser tiradas com número “F” mínimo, lembre-se, isso é muito importante!

3.ISO: Regula a sensibilidade a luz de sua câmera. Aumentar o número ISO deixa sua foto mais clara e também mais granulada. Para fotos da aurora, mantenha esse número entre 1600 e 6400. Caso sua foto fique muito clara ou granulada, experimente diminuir o valor do ISO.

4.TEMPO DE EXPOSIÇÃO: Também conhecido como “velocidade do obturador”, esse ajuste define o tempo que o obturador (a “pupila” da sua lente) ficará aberta para registrar a foto. Portanto, aumentar o tempo de exposição significa deixar sua foto mais clara. Para fotografar a Aurora, regule esse tempo entre 1 e 20 segundos (no LCD da máquina fotográfica pode aparecer como 1″ e 20″).

5.WHITE BALANCE: Esse parâmetro mexe na regulagens das cores salvas no arquivo JPEG. Deixe em AUTO, que é a melhor opção para fotografia da Aurora – no LCD da sua câmera aparece como AWB (Auto White Balance).

6.SELF TIMER: Defina um atraso de 2s para a máquina tirar a foto. Isso evita que a foto fique tremida.

7.ESTABILIZAÇÃO DE IMAGEM (IS – IMAGE STABILIZATION): Se tiver IS, deixe desligado, pois você estará fotografando com um tripé. Na nossa lente da Canon, é um botão escrito “STABILIZER ON / OFF”.

8.ZOOM: Ajuste o zoom de sua lente no valor mínimo. Exemplo: nossa lente Canon tem zoom 18-55mm, então deixávamos o zoom em 18mm, que é o valor mínimo.

9.FOCO NO INFINITO: Nas lentes mais antigas, você simplesmente coloca o foco na marca do infinito ( ∞ ) e pronto, está feito! Já nas lentes modernas (foi o caso da nossa lente) o ajuste do foco no infinito pode ser feito assim:

  1. Com o foco automático ligado, foque um objeto distante. Se já estiver escuro, use a lua (se estiver visível), a luz de uma casa ou o farol de um carro bem longe, ou qualquer objeto distante que tenha um pouco de luz e que você consiga focar.
  2. Uma vez focado no infinito, desligue imediatamente o foco automático da lente (nas lentes Canon, é só colocar em “MF” de manual focus, nas lentes Nikon, coloque a lente em “M” de Manual ) e não mexa mais nesse ajuste. DICA: algumas lentes, mesmo com a máquina fotográfica desligada, podem desregular o foco caso você esbarre na regulagem. Isso não acontece com a minha lente, mas se for o caso da sua, uma solução que todo mundo usa é colar um durex, fita crepe ou qualquer adesivo no ajuste do foco, para evitar que ele se mexa e você perca seu ajuste no infinito (se perder, repita o passo 1 e 2 novamente).

Como fotografar pessoas

Primeira dica: Não use o flash! Ao invés disso, use uma lanterna bem fraquinha – a do celular serve.

Segunda dica: Ajuste o tempo de exposição de 5 a 10s, mais do que isso é ruim, porque ninguém consegue ficar parado na mesmo posição por tanto tempo. Use também um ISO alto, entre 3200 e 6400.

Faça o enquadramento das pessoas, e antes de iniciar a foto, lembre-as de não se mexer. Inicie a foto. E aqui vai a dica número 3, a mais importante de todas: antes que o tempo de exposição termine, ilumine o rosto e o corpo das pessoas de 1 a 2s apenas, com a luz de sua lanterna. Feito isso, desligue ou tampe a luz da lanterna com a mão, como for mais fácil para você, e deixe a foto terminar. Veja o resultado – a Erika ficou 8 segundos imóvel nesta posição!!

como fotografar a aurora boreal com pessoas

Pronto, é só isso! Dependendo da distância das pessoas em relação a sua câmera, experimente iluminar mais ou menos tempo com a lanterna, veja o qual melhor resultado para você.

Equipamentos Adicionais

Alguns equipamentos adicionais podem incrementar sua fotografia da Aurora Boreal:

  • Timer externo: Nós levamos um, oferece as seguintes vantagens:
    • Permite maior controle do tempo de exposição;
    • Permite fazer um time-lapse da Aurora Boreal.
    • Evita que você toque na câmera para fotografar (você só toca no botão do timer para tirar a foto).
  • Lente wide-angle (grande angular): Use sua lente mais wide-angle para fotografar a Aurora. Quanto mais wide, melhor – mais áreas do céu vão entrar na sua foto. O ideal são lentes entre 14 a 18mm na escala Full Frame, mas infelizmente não tínhamos – a nossa era 28mm na escala Full Frame.
  • Lente com maior abertura (número F mínimo):  Lentes com aberturas maiores permitem usar tempos de exposição menores e números ISO mais baixos, aumentando a qualidade da foto da Aurora.

Uma lente wide-angle e com número “F” baixo proporciona melhores resultados, mas infelizmente são mais caras. Não esquente a cabeça se você não tem esses equipamentos adicionais, como viram pelas nossas fotos, dá para conseguir ótimos resultados apenas com uma câmera em modo manual, lente padrão e um tripé!

Melhor época ver e fotografar a Aurora Boreal

Vamos começar pela pior época para ver e fotografar a Aurora Boreal: o verão. Nesta época as noites são mais curtas e não ficam 100% escuras, ou seja, há pouco tempo para as Northern Lights aparecerem e quando aparecem, a noite clara atrapalha bastante a observação do fenômeno.

Já noites escuras ajudam muito a observação e fotografia da Aurora, principalmente quando as Northern Lights aparecem com intensidade mais fraca. A partir de meados do outono até meados da primavera, as noites ficam 100% escuras. E no inverno elas tem sua maior duração.

Portanto, primavera, outono e inverno são as épocas recomendadas para ver e fotografar a Aurora Boreal. Nós preferimos fotografar no outono, por conta das temperaturas menos extremas na Noruega e Finlândia nesta época.

Como saber se a Aurora Boreal vai aparecer?

Para ajudar a caçar a Aurora Boreal, anote aí outra dica: existem apps de celular que informam em tempo real a probabilidade da Aurora aparecer. Esses aplicativos levam em conta diversos fatores, dentre eles o índice KP que citamos aqui e que tem relação direta com a intensidade da Aurora.

Para saber mais sobre este assunto, temos matérias específicas aqui no blog, de leitura imprescindível para quem quer ver a Aurora, confira:

Para ver todas as nossas matérias sobre a Aurora Boreal, clique aqui.

Já fotografou a Aurora Boreal? como foi sua experiência? Deixe suas dicas na caixa de comentários, elas podem ser úteis a outros viajantes.

Espero que tenham gostado e até a próxima trip!


 

 

 

Promoção de Hotéis:

Ao efetuar sua reserva de hotel em nosso parceiro Booking.com, ganhamos uma pequena comissão – você não paga nada mais por isso e ainda ajuda nosso blog a se manter sempre atualizado e com novidades.

Booking.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “Como fotografar a Aurora Boreal | Guia Completo